09 outubro, 2014

.


- O que é o amor afinal?

Amor

o amor é um búzio
que encostas ao ouvido
para ouvires por dentro
o suspiro desesperado.

Ou um bicho rebelde
que expia os pecados do mundo.

Uma língua
que segrega um silêncio cheio.

Uma linguagem táctil
a exaltar os corpos.

Uma boca
que se nega à palavra exacta
por não haver palavra para este desespero.

Talvez o amor seja a ternura 
com que te olho enquanto dormes
ou a raiva que sinto do sono
por não saber para onde te leva.

O Amor é : a febre de ti
que me vara os ossos.

Um aclarar da noite 
quando por fim
a muralha de pernas em ti se fecha
e a vida toda nos transpira dos poros.

A certeza é uma loucura tão pouco certa...

Mas saber-me assim 
tão certa 
ou tão louca
é tudo quanto me basta: 
O Amor somos nós.

Sónia M


Imagem:
George Portz

16 comentários:

  1. Bom dia Sónia, que poema tão belo em que realça o amor na sua plenitude!
    O amor esse sentimento tão nobre que nos faz mover e continuar a acreditar que um dia os nossos sonhos se tornarão realidade!
    Um beijinho grande.
    Ailime

    ResponderEliminar
  2. Oi, Sónia.

    Que sublime e intenso passeio pela percepção do que é o amor, só quem já teve ou tem uma primavera dentro de si é que pode falar tão bem dos jardins, cores e sensações, como você falou.

    Amável poema!

    ResponderEliminar
  3. SE SIENTE PROFUNDO..!!! GRACIAS POR DEJAR COMENTAR NUEVAMENTE EN TU BLOG.
    BESOS

    ResponderEliminar
  4. O amor tem toda a complexidade do mundo. Mas o mundo não existiria sem o amor. Gostei do poema.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  5. um definição belíssima do que é o amor.

    também gostei muito do teu poema anterior a este,por momentos lembrei de um que escrevi faz muitos anos que se intitulava um dia que não vem no calendário.

    gosto muito do que escreves.

    :)

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde, definiu bem o o nobre sentimento do amor, este acontece inesperadamente, sem que possamos controlar o bem que que nos faz.
    Poema fantástico que revela os seus belos sentimentos.
    AG
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Olá Sónia,

    Entre todas as definições de amor que existem e que já li por aí, acho que esta parte me agradou muito: "Talvez o amor seja a ternura com que te olho enquanto dormes". É mesmo, não existe nada mais mágico do que olhar a pessoa de quem gostamos enquanto dorme. Uma sensação óptima e ao mesmo tempo estranha. Nem eu sei bem explicar.

    Beijinho e tenha uma boa noite :)

    ResponderEliminar
  8. Oi Sónia
    Passando para me despedir de você
    A gente pode se falar por e-mail quando você quiser
    Boa sorte
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  9. Voltei pra te reler Soninha! E agradecer a participação no Asas!

    Beijos, flor!!

    ResponderEliminar
  10. Oi Sónia,
    Eu sempre lhe disse que adoro esse seu jeito delicado, inteligente de nos passar seus escritos.
    Você tem futuro. J-á pensou???
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  11. O poema é lindo, mas realço esta parte:
    "Talvez o amor seja a ternura
    com que te olho enquanto dormes
    ou a raiva que sinto do sono
    por não saber para onde te leva"
    Uma maravilha! E fico muito contente que a possibilidade de comentar tenha sido reactivada.
    xx

    ResponderEliminar
  12. "Talvez o amor seja a ternura
    com que te olho enquanto dormes
    ou a raiva que sinto do sono
    por não saber para onde te leva "

    Belíssimo!!! Tenho que concordar e seguir o pensamento da Laura Santos. Amei essa parte. Parabéns Sonia

    ResponderEliminar
  13. Lindo Sônia.
    E faço do comentário da Laura Santos (acima) o mesmo meu.
    Beijão amiga!!

    ResponderEliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS