13 maio, 2014

.


Quando cheguei estava escuro. Sombras de sombras.
Olhei a rua com as cores que ainda trazia nos olhos.
Fiquei sentada à janela, a entreter a noite com histórias
de um lugar que ninguém conhecia, 

enquanto pintava alamedas e vales por entre o betão.

Desconhecia o paradeiro das aves, e, os olhos, 
habituados a reconhecer o cheiro das coisas, não dormiam. 
Pousavam aqui e acolá, em constante movimento.
Inventavam o branco das paredes, o vermelho dos telhados, 
o cheiro dos campos, o azul de um céu que julgavam infinito. 
Como se vissem, por entre a penumbra, o que lá não estava.

A noite entrava em trabalho de parto. Pariu uma dor pequenina, 
sem braços, que lhe apertava todo o corpo. 
Pensou-lhe um nome às pressas e verteu-o na claridade, 
para que crescesse no dia. Era húmido, em menos 
de nada alagou as entranhas da rua.
Neguei-me a repeti-lo e a noite inscreveu-mo no peito.

Vi como a manhã, mordendo os calcanhares da ausência,
chegou à janela com aquela filha nos braços.
E eu sei, que foram muitos os que assistiram ao parto. E que tal como eu,
desde que lhe conhecem o rosto, adormecem com o seu nome nos olhos...

Sónia M
(Abril 2008)

Pintura, 
"Skyline with lady in green",  Oil on canvas.(fragment), by Willy.
 Crealinelijnen

31 comentários:

  1. Bem reflexivo amiga Sónia.
    Gostei muito.
    Bjs-Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  2. Cheguei, vi o branco das paredes, o vermelho dos telhados, fechei os olhos, não adormeci, mas vi o meu lindo Portugal!!!
    De cá para lá, vai o meu abraço.

    Ps: Tenho uma surpresa no "Figueira Minha"! Também para a amiga Sónia.

    ResponderEliminar
  3. Nossa Sónia,
    Você escreve com uma peculiaridade imaculada.
    Enrola palavras aqui, beija outras ali e sai essa maravilha de se ler.
    Você é brilhante. Adoro lê-la.
    Feliz todos os dias das mães, nós somos privilegiadas, pois todos os dias são nossos: maeeeeeeeeeê!!
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  4. Magistral...
    has pintado con sentimientos la pintura de "dar vida"

    Te deseo un hermoso miércoles en familia
    un beso

    ResponderEliminar
  5. Gosto de ler-te! Tens muita magia =)

    ResponderEliminar
  6. Ah! Eu conheço essa tela!!...Uma bela escolha essa "Skyline with lady in green" do Willy, um excelente pintor!
    Quanto ao poema, é de uma riqueza de conteúdo e de forma que me deixou de queixo caído, a ler e a reler. E só posso dizer que é um grande privilégio ler o que escreves.
    Um poema primoroso.
    xx

    ResponderEliminar
  7. It is a gift ,playing with words, so you can feel the rain, filled with human emotions !!!
    Thanks a lot, to use, my same way painting !
    XX

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. When I saw this fragment of the painting, I remembered this "whisper", who was lost in a drawer around here. Thanks for letting me use it, Willy. Kiss.

      Eliminar
  8. Olá! Que maravilha de texto, um lindo poema! abração

    ResponderEliminar

  9. Belíssimo, Sônia.
    Final marcante: "...E que tal como eu, desde que lhe conhecem o rosto, adormecem com o seu nome nos olhos..."
    Ótima escolha da tela. Bela obra.

    O blog ficou ótimo. Bem clean.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  10. O teu Poema deixa, no seu caminho, as pègadas indelevelmente marcadas.
    Ficou completo. Divino.


    Beijos


    SOL

    ResponderEliminar
  11. Quando chegamos a um lugar novo, há tanto por reaprender, que é como se fôssemos criança novamente.

    Sempre belo, Sonia.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  12. acho que entendi essa dor e esse parto.

    de 2008 e com a mesma mestria de sempre.

    escreves muito bem!

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a Piedade também lhe assistiu ao parto...
      e conhece o nome da "menina"...


      Obrigada a todos pelas vossas visitas e comentários.
      Deixo um abraço.

      Eliminar
  13. um parto solitário!

    belíssimo o poema.

    beijo

    ResponderEliminar
  14. Tudo tão lindo, poesia e novo visual.
    Beijos amiga!!

    ResponderEliminar
  15. Muy bonito texto y blog. Besos desde http://creiamosqueestabamoscuerdos.blogspot.com.es/

    ResponderEliminar
  16. Olá, Sônia,
    "Skyline with lady in green" do Willy...muito lindo!
    ...num lugar novo parece que "tudo está se fazendo novo" ...porém, penso, nós é que somos os renascidos, independente dos lugares ...
    Vim agradecer pelo carinho de sempre, muito obrigado,belos dias, beijos!.

    ResponderEliminar
  17. Quando aqui entrei pensei que me tinha enganado no blogue. Pintou a casa e mudou a mobília, fez muito bem, está com um ar 'clean' e vai ao encontro da tranquilidade que por aqui habita. Boas energias, portanto.

    Roubei este bocadinho do poema e colei no meu comentário porque me tocou:
    "A noite entrava em trabalho de parto. Pariu uma dor pequenina,
    sem braços, que lhe apertava todo o corpo.
    Pensou-lhe um nome às pressas e verteu-o na claridade,
    para que crescesse no dia. Era húmido, em menos
    de nada alagou as entranhas da rua.
    Neguei-me a repeti-lo e a noite inscreveu-mo no peito."

    Beijinho, Sónia. Um óptimo fim-de-semana :)

    ResponderEliminar
  18. este olhar a rua com as cores que ainda habitavam os olhos num encontro silencioso, quase secreto com o pequeno milagre da vida... que é dar vida: uma verdadeira preciosidade de escrita que torna 2008 apenas todo o tempo na sua própria intemporalidade.
    admirável o teu dom de escrita, sónia. beijinho grande!

    ResponderEliminar
  19. Simplesmente fantástico, beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  20. A beleza como colocou a sua reflexão foi espetacular, e quanto ao conteúdo muito belo por sinal, amei poetisa, beijos e parabéns!!!

    ResponderEliminar
  21. Essa parte de ficar sentada a noite e se entreter com histórias...me lembra de eu mesma.
    Desse hábito. Gosto disso.
    Lindo poema e a pintura.
    obrigada pela visita no cérebroquepulsa.
    abraços
    janicce.

    ResponderEliminar
  22. UN TEXTO MUY SIGNIFICATIVO.
    UN ABRAZO

    ResponderEliminar
  23. Creio que esta é a minha 1 ª visita a este blog.
    Gostei do que li.
    Saudações poéticas!

    ResponderEliminar
  24. A vida é uma corrente de ar soprada por Deus....

    Quero ver-te renascida sempre!


    Beijo

    ResponderEliminar
  25. Belíssimo! A poesia é sempre um alento as nossas almas! Aproveito para convidá-la a acompanhar o blog Cérebro Que Pulsa, onde eu e minha esposa procuramos expor um pouco de nossas idéias. Quanto a mim, não tenho a veia poética, mas acho poesia uma das maravilhas do mundo.
    Abraço,
    Rafael

    ResponderEliminar
  26. Estarei definitivamente neste link, se desejar me visite

    www.euflordealfazema.com

    ResponderEliminar
  27. Finalmente as coisas começam a normalizar ainda que lentamente. Obrigado, Sónia!

    ResponderEliminar
  28. Boa tarde Sónia, que belíssimo poema!
    Um poema que me parece falar da dor que se instala na distancia de quem está longe de tudo aquilo que ma!
    E as lágrima furtivas que deslizando no rosto, doem, doem, doem!
    Lágrimas que atravessam fronteiras!
    Um beijinho,Ailime

    ResponderEliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS