10 janeiro, 2014

Falta (-te-me)...



Embriaga-me a sede dos teus olhos ausentes.
Trago por companhia os pássaros,
que do tanto que me seguem e falam,
já me crescem penas nos braços.

Estão vazias de passos todas as pontes.
Corpos de madeira podre ao abandono,
por cima de tumultuosas águas.

Ergui casas e mais casas,
em todos os chãos que pisaste.
Tantas ruas desertas que permanecem sem nome.

Junto ao silêncio dos muros,
depeno a pele e ali aguardo,
que decifres a melodia da palavra que me escondes.

Falta-te talvez,
um pedaço de nuvem na mão.
Um rodopio do vento,
que disperse a amargura.

Olhar fixamente uma única gota chuva,
em dia de tempestade.
Distinguir  na tua sombra,
ainda que não creias,
um pássaro que a segue no chão.

Falta-te talvez,
ler o nome, que nas pupilas trago inscrito.
Ficares a sós com o meu peito,
até veres nele um horizonte sem horas.
E num rasgo de lucidez absurda,
voltares a crer no infinito.

Falta (-te-me)...

Sónia M

Imagem, © Lyse Marion




28 comentários:


  1. Gostava de ter sido eu a escrever este poema. Por momentos, a sua voz foi também a minha.

    Beijinho

    ResponderEliminar
  2. E a Falta que a falta do que falta, faz!!!!!... Afinal, falta sempre algo ou alguém e, que não se estranhe se houver momentos em que sentimos que até a nós nos faltamos... e, essa falta, é uma falta que não falta nos infinitos mais solitários!...

    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Brilhante, divino mesmo...privilégio ler como de costume!!!!

    Querida amiga tenho no meu blogue a correr um desafio Rostos da diferença, seria um privilégio para mim contar com o teu contributo...compreendo evidentemente se não o fizeres...! Beijinhos mil querida amiga!!!
    Maria

    ResponderEliminar
  4. Sónia

    eu sei a falta que te referes, e, essa falta, não é só tu que a sentes.

    o poema esta impregnado de saudade e mágoa e por momentos gostava de ter sido eu a escrever este poema.

    beijo

    :)

    ResponderEliminar
  5. "E num rasgo de lucidez absurda,
    voltares a crer no infinito."

    Sim, só amar faz sentido.

    ResponderEliminar
  6. UN TEXTO MUY, PERO MUY ROMÁNTICO!!!!
    BESOS

    ResponderEliminar
  7. O título já me encantou e quando li a poesia simplesmente achei maravilhosa... também me vi um pouco nela... Bjusss

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde Sonia.. um poema muito expressivo onde podemos ver em nós mesmos a falta que o outro faz a nós.. sozinhos perdemos nosso próprio rumo é como se fossemos uma única sardinha querendo empurrar um navio.. a vida é bela quando se tem alguém.. beijos e um lindo dia

    ResponderEliminar
  9. Meu Deus Sonia que linda poesia.
    Falta-me,me falta a companhia da minha irma querida que agora foi ao encontro do pai,vim aqui lhe ver e me deparo com essa linda poesia.
    Um lindo final de semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  10. Mais um lindo poema!
    Alguns têm tudo, outros há que não têm nada, também há quem veja para lá do horizonte, outros há que não conseguem ver um sorriso a 20cm de distância!
    Que não lhe faça falta um bom fim de semana, amiga Sónia.

    ResponderEliminar
  11. Lindo...

    Beijinho e bom fim de semana, Sónia.

    ResponderEliminar
  12. Oi Sónia
    Lindo poema!
    Você nos leva a sonhar
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  13. Un poema transido de un sentimiento de ausencia , de sutil soledad interior que llega al corazón.Un poema que sale de un alma blanca y tierna.Todo nuevo año invita a la deconstrucción y a la renovacion interior.Espero que el nuevo año te regale con todo tipo de parabienes en todas los ámbitos de tu vida.Un Cálido abrazo.

    ResponderEliminar
  14. Você será sempre insubstituível dentro do meu coração,
    o mundo é bom e Deus é sábio e generoso pois
    faz pessoas como você atravessarem nosso caminho,
    fazendo agente mais feliz.
    Que seja sempre assim porque dessa
    maneira eu terei certeza que nunca estarei só,
    ter sua amizade é ter a benção da vida.
    Que Deus abençoe sua vida e nossa amizade
    pois o amor de uma grande amizade que nunca morre.
    Beijos e minha sincera amizade.
    Um feliz e abençoado Domingo .
    Que Jesus aqueça sempre nosso coração
    abençoando nossa infinita amizade.
    Até Sempre: Evanir.
    PS:Por Favor Não Esqueça De Mim..
    Te deixei um carinho na postagem.
    Amiga :Jesus como é lindo seu poema adorada amiga!!

    ResponderEliminar
  15. Há faltas importantes, mas nenhuma a leveza e magia das tuas palavras. Lindíssimo como sempre.

    Beijo

    ResponderEliminar
  16. Olá Sónia, simplesmente genial o seu poema. Li-o de um fôlego e senti-me envolvida pela magia das suas palavras. Um beijinho Ailime

    ResponderEliminar
  17. envolvente e bela tua poesia.
    grato por teres mostrado.

    levo-te para os meus blogs de eleição.

    beijo

    ResponderEliminar
  18. Voa, voa passarinho,
    Os olhares ausentes, vai buscar
    Não te deixes no ninho
    Passarinho, apanhar!

    Boa noite, bom sonhos e bom fim de semana,
    para você amiga Sónia, um beijo.
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  19. Hoy...
    simplemente brillante!

    Te deseo una mágica tarde de domingo
    un cálido abrazo para ti Sónia
    excelente inicio de semana

    ResponderEliminar
  20. Tomara eu muitas das vezes estar rodeada de pássaros e não de gente ridicula no mundo real. Venho aqui desejar-te uma semana super perfeita,muitos beijinhos,fica com deus e até breve!!

    ResponderEliminar
  21. Se este poema fosse uma equação, teria de ser uma equação elevada a uma potência infinita, tal é a carga emocional que transporta, através do intenso aprofundamento da formulação poética do sentimento pela ausência do ente amado, sentimento este que tem percorrido toda a poesia portuguesa , desde a época trovadoresca, passando por Camões e pelos poetas ultra-românticos do século XIX.
    ...
    Quando as pontes não têm rios e as ruas não têm nome, é no infinito que se procura refúgio e se encontra o refrigério.

    ResponderEliminar
  22. "Trago por companhia os pássaros,
    que do tanto que me seguem e falam,
    já me crescem penas nos braços".
    Falta esa mirada comprometida e intensa que llena de sensaciones infinitas y mutuas, que son Espejo e Imagen de dos Corazones al mismo compás...¡¡¡Precioso!!!
    ¡¡¡Gracias por Tu Presencia en mi blog P y V. Sabes que valoro y estimo mucho.
    ¡¡¡Ah!!! El Viernes publicaré una Poesía dedicada exclusivamente a Portugal.
    Abraços e Beijos.

    ResponderEliminar
  23. Olá Sônia.

    O poema é lindíssimo e transmite emoção. Parabéns pela sensibilidade poética.
    Há faltas que transbordam em saudade.

    Beijo.

    ResponderEliminar
  24. Belíssimo, Sonia,
    Quanto perdem os amores, incapazes de ler e interpretar um olhar.
    Tua poesia é mágica, emocionante.
    "Ergui casas e mais casas,
    em todos os chãos que pisaste.
    Tantas ruas desertas que permanecem sem nome".
    Lindo!!!

    ResponderEliminar
  25. Magical,mystery words, filled with romantic emotions!!
    Greetings from Gent,Willy

    ResponderEliminar
  26. Inquirir, apontar, tentar resgatar...
    Uns laivos de amarguram estão longe de se sobrepor a uma serena beleza, Sónia!

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  27. A beautiful post!
    My New B&W Blog:

    http://hanshb.wordpress.com/

    ResponderEliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS