01 junho, 2012

Nada



Não pedia nada...
Tão pouco esperava nada.
Habitava a floresta, esquecida,
onde os dias eram nada.
No peito a dor das saudades
dos dias floridos da primavera.
A pele nua rasgada pelos galhos secos das árvores.
Na boca ressequida pelo vento...
apenas um murmúrio...um doce lamento...
de quem não pede nada...
Vagueava perdida por aquele labirinto...
Sem esperar nada...
Foi então que te vi!
Trazias de mil homens a bravura.
Do aço a resistência.
De uma criança a ternura.
No sorriso a magia
de quem conseguia mudar meu mundo!
Com as mãos, abriste caminho até mim.
Não pedia nada...tão pouco esperava nada...
Mas de repente... num segundo...tinha tudo!

Sónia M

15 comentários:

  1. Lindo lindo Sónia!

    Bom Dia! Beijocas frescas logo pela manhã, que o dia hoje por aqui promete!

    ResponderEliminar
  2. Os dias eram nada
    Na floresta esquecida
    Florida mais agradava
    Na primavera nascida!

    Do aço a resistência
    Sem água, terra ressequida
    Luta pela sobrevivência
    A planta na terra nascida!

    Boa sexta-feira,
    um abraço
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  3. Seu encanto é maravilhoso, nos emociona tanta beleza! Parabéns, bjos.

    ResponderEliminar
  4. Oi querida, você não imagina como é bom ouvir seus sussurros, estava até com saudade! Por diversas vezes tentei localizar seu blog e dava como não existente, o que houve afinal? Mas agora já não importa! Fico feliz de visitá-la outra vez e de ser visitado!
    Vou lhe confessar: ler um poema como esse tendo ao fundo o som desde de piano, é mais que prazeroso, é inebriante!
    Um beijo querida e um ótimo final de semana.

    ResponderEliminar
  5. Oi Sónia!

    Que lindo poema!

    Grato pelas visitas!

    ótimo final de semana e iluminado por DEUS!

    ResponderEliminar
  6. Um final de apoteose, que quase transcende, em grandeza épica, a característica intimista e sentimental da parte inicial do poema, embora, para que aquela epicidade ganhasse maior concordância e relevo, fosse preferível escrever "mudar o mundo" em vez de "mudar meu mundo". Mas a "poeta", que diariamente nos surpreende com a sua enorme sensibilidade poética, lá terá as suas imponderáveis razões pessoais, interditas às objeções de uma qualquer crítica literária, para escrever como escreveu. E é a "poeta" que é dona do poema e no que nele pretende exprimir.
    Parabéns, Sónia M., por mais um belo poema.

    "Trazias de mil homens a bravura.
    Do aço a resistência.
    De uma criança a ternura.
    No sorriso a magia
    de quem conseguia mudar meu mundo!".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada me pertence...muito menos as palavras que hoje lhe escrevo!
      As suas criticas literárias são sempre bem vindas, por várias razões...uma delas é eu ser uma fã incondicional do Alexandre enquanto poeta e escritor.
      Obrigada Alexandre!
      Um beijo :)

      Eliminar
    2. A Sónia M., neste estilo poético intimista e sentimental, já não precisa de receber lições de ninguém. Já sabe tudo, tal é a enorme carga emocional que transmite aos seus poemas.
      Há duas categorias de poetas: os que já nascem poetas para toda a vida e aqueles que se fizeram poetas num qualquer momento da vida. A Sónia pertence aos da primeira categoria. Já nasceu "poeta", e isto agarra-se à pele e a todas as ínfimas partículas do seu corpo.

      Eliminar
  7. E do nada se fez tudo...

    Beijo e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  8. A coisa pode estar preta, mas como crianças que somos, no nosso dia vamos brincando, sorrindo, cantando, pulando, às vezes com vontade de chorar, mas olhamos o passado e sussurramos baixinho: Valeu a pena termos sido crianças!
    O meu abraço

    ResponderEliminar
  9. que bonito sonia... no pido nada... lindo... un beso muy grande preciosa y feliz fin de semana reitero lo de ayer ... encantada de que estés aquí en este mundo bloguero otra vez...
    Belén.-

    ResponderEliminar
  10. A saudade,
    é um sentimento que
    com o tempo traz tristeza,
    que com a alma traz esperança,
    e que se apoia na amizade.
    *Verônica Januário Luz*.
    Eu me apoio na sua amizade para
    continuar seguindo minha história .
    Sua visita e seu carinho me ajuda
    a transpor barreiras nesse momemto .
    Deus sempre é mais forte que a angústia.
    E ele esta sempre presente na minha vida
    continuarei levando minhas visitas
    da forma que me for possivel
    de estar sempre presente .
    Não devo e nem posso me isolar das
    minhas amizades por ñ estar conseguindo teclar.
    Pode haver muitos Amigos em nossas vidas, mais amizades verdadeiras
    para mim é para sempre.
    Por isso falar sobre problemas , meus sentimentos,
    não da soluções para todos os problemas da minha vida, dúvidas ou medos,
    mas me ajuda a viver mais feliz.
    Agradeço de todo coração pela sua amizade
    e seu carinho.
    Estou triste por não ser compriendida
    por levar cola nas minhas visitas.
    Na próxima semana vou fazer uma postagem.
    Não tenho duvidas ,que a pessoa que me aborrece tanto
    vai sentir vergonha de si mesmo.
    Foi esse o motivo do meu afastamento por uma semana
    receber mais insultos .
    A falta de instrução e educação infelizmente
    não tem limites.
    Não fique triste comigo por desabafar
    ao fazer isso é porque tenho certeza da sua amizade e carinho por mim.
    Desesejo um abençoado Final de Semana
    paz e luz.
    Beijos com saudades.
    Evanir..

    ResponderEliminar
  11. ...não pedia nada..mas de repente..num segundo..tinha tudo!! Que lindo poema amiga, parabéns pela inspiração e pela sensibilidade que nos encanta.Beijos grandes e até.

    ResponderEliminar
  12. por vezes basta um olhar, que se traduz em tudo.

    muito belo.

    beij

    ResponderEliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS