13 junho, 2015

Infinita mente



Há a ilusão no caminho
de que a chegada é um vazio.
Um nada 
elevado ao infinito.
Infinita mente abismo.

A clareza
com que se encara o horizonte
que nos espera
faz-nos perceber
o pouco importantes
são os enredos desta vida.

Infinita mente vã.

Ouve-me.
Como se fosse a minha voz
a faca que corta 
o abandono que te prende.
Nada mais tenho para dar-te
do que este canto...

Sou infinita! 

Infinita mente amor
mente dor
mente pássaro
mente só...
Infinita...

{E tu também és, acredita!}

Um dia
deixarás o peso das penas
e serás a terra
que acama as raízes de uma árvore.
Farás parte da folha que nasce
da folha que cai
e do ninho do pássaro.
Serás o que és
infinitamente em toda a parte
infinito.

Um poeta segredou-me 
que não existe morte.
E eu acredito no poeta.

É este o horizonte de que falas.
Infinita mente início...


Sónia M

Pintura, Alexander Dmitry Sulimov


17 comentários:

  1. infinita mente belo!
    muito, muito...
    obrigada por este belo momento de poesia.
    beijinho
    :)

    ResponderEliminar
  2. acredito no poeta... e na tua Poesia.

    bela.

    beijo

    ResponderEliminar
  3. Uma linda poetisa.
    Poesia maravilhosa
    Beijos no coração

    ResponderEliminar
  4. Hola Sónia, buenas noches,
    me gusto mucho el sentido que le has dado a la conjunción de palabras.
    Por cierto, parece ser un sabio e inteligente poeta el que citas.

    Te deseo una linda semana
    un beso

    ResponderEliminar
  5. Bom dia,, poesia maravilhosa que me faz elevar ao infinito.
    AG

    ResponderEliminar
  6. Existe sempre a esperança de que o eco das palavras do poema não se esgote no precipício de todos os infinitos, mesmo os que se designam por "infinita mente".Há sempre um diálogo entre o espaço e o tempo e entre a vida e a morte. E todos temos uma única e indeclinável oportunidade de viver, até que o tempo se esgote.

    ResponderEliminar
  7. Olá, Sónia.
    "Infinita mente amor" - tanta ilusão que fica...
    Mas se o poeta "segredou que não existe morte" - o poeta não mente. Acreditemos.
    Lindo.

    * "virei" o blog de pernas para o ar e não descobri como seguir. Mas não o perderei, com certeza ;)

    bj amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carmem, obrigada pela "visita" .
      E só agora, porque a Carmen falou no assunto, reparo que "os seguidores" não estão a aparecer na página, mas não faço ideia porquê!

      Seja sempre bem vinda.
      Beijo

      Eliminar
  8. Infinitamente grata, a todos que por aqui passaram.

    Deixo um abraço.

    ResponderEliminar
  9. Querida amiga

    Quem se deixa
    engravidar de infinitos,
    dá a luz todos os dias
    a infinitas alegrias...
    Lindo texto...

    Sua vida é preciosa para mim...

    ResponderEliminar
  10. Olá Sónia,
    Como tem passado?
    Absolutamente fabulosa a sua visão de infinito!
    Grande poema!
    Um beijinho e bom fim de semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
  11. tua poesia me instiga...inspira.

    saudades

    ResponderEliminar
  12. Esse poema surpreendeu-me com sua beleza.
    Parabéns, Sonia!
    Beijos!

    ResponderEliminar
  13. Pela tua mão, voltei a este poema. Lindíssimo!...

    ResponderEliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS