04 agosto, 2014

.


Há um certo histerismo a esta hora.
No bar 

as vozes sabem a álcool.

Conversas que se misturam 
com o barulho das luzes
que ofuscam os olhos.

Não sei se tu vês o silêncio que eu ouço.

Por um momento
apeteceu-me levar-te lá fora
para que vejas a súplica
que eu sinto descer lentamente
por entre os cabelos de prata da lua:

amanhã não me esqueças 
- não nos esqueças - 

quando a lua se erguer novamente
{será que sabes?}
és tu que nos brilhas nos olhos.

Sónia M


(À menina dos nossos olhos)

imagem retirada da net

4 comentários:

  1. Olá grande poetisa! Me tocou profundamente com sua linda composição. A vida é assim, muitas vezes temos que nos ausentar antes de acabar a festa... Muito lindo! Forte abraço!
    http://rose-sousacoracaodefera.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  2. Nunca tinha lido nada de tão interessante e comovente à "menina dos olhos" :-)
    Bom regresso, querida Sónia, espero que mesmo que curtas (são sempre curtas)
    tenham sido muito boas e reconfortantes.
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Laura, "a menina dos nossos olhos" é alguém que deixamos ( nós, enquanto família) e que muito nos custa deixar...

      As férias sabem sempre a pouco, mas são sempre boas, sempre!
      Um beijo

      Eliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS