05 maio, 2014

.


Eis-me agora parada
entre a ponte
e o destino de uns passos.

Pela curva do ombro
caem soltos
os silêncios antigos
que enredei aos cabelos.

Queria contar-te o nome das coisas
que encontrei entre os sonhos

mas tenho medo

de acordar uma voz naufragada
numa madrugada sem nome

e ter que inventar de súbito
a cegueira do sonho

alheio ao crepúsculo

e à verdade sem pontes 
nua 
e tão clara
refletida no espelho das águas. 


Sónia M

(Imagem retirada da net)


36 comentários:

  1. No espelho das águas tudo é mais claro

    Bjs

    ResponderEliminar
  2. Sónia,

    Muito obrigada pela sua visita e comentário!

    interessante quando disse "de acordar uma voz naufragada numa madrugada sem nome"., muitas vezes os problemas se afloram até quando se dorme e nos acorda.

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Adorável sussurro, Sónia.

    Uma brisa em forma de sonhos, daqueles que nos temerosos de acabar, tão amáveis que são.

    Ótima semana para você!

    ps.: com todo respeito, achei tão graciosa tua novo foto do perfil.

    ResponderEliminar
  4. Ah mas é que o sonho tem mesmo de ser inventado, nesse alheamento do crepúsculo e de tudo o resto.
    Depois logo se vê!
    Belíssimo poema, Sónia!
    xx

    ResponderEliminar
  5. Sou um leitor assíduo e mais uma vez gostei, obrigado Sónia!
    Da Figueira segue o meu abraço.

    ResponderEliminar
  6. contar los sueños es abrir el corazón,
    bella poesía
    saludos

    ResponderEliminar
  7. Um sentir presente
    Uma janela por abrir
    O pintar duma tela
    Com a flor por abrir...

    (Gosto sempre do que escreve, Sónia)

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  8. Oi Sónia,

    Adorei seus escritos poéticos. Nós entramos na poesia de cabeça e nos tornamos personagens desta e, não queremos sair.
    Lindo!

    ResponderEliminar
  9. Hola Sónia, buenas noches,
    estoy viendo desde mi ventana como transitas ese puente...
    los sueños solo son sueños,
    cuando las aguas se reflejan en la claridad de un alma. (cristalina como la tuya)

    Espero que hayas tenido un gran día, el domingo pasado.

    Te deseo una maravillosa semana
    un beso grande

    ResponderEliminar
  10. "mas tenho medo

    de acordar uma voz naufragada
    numa madrugada sem nome"

    E o pior é que às vezes parece que isso já aconteceu, não é mesmo?
    Um abraço

    ResponderEliminar
  11. Lindo o poema.
    Ele me remete a lugares próprios de nós mesmos. Caminhos que só nós conhecemos, na intimidade de quem somos.
    Caminhos não ditos, quase nem acreditáveis. Mas, só quem vive, sabe!

    Abraço.

    ResponderEliminar
  12. Entre a ponte e o destino de uns passos, quantos sonhos se contam...

    Adorei.
    Beijinho Sónia e uma boa semana.

    ResponderEliminar
  13. Ao tentar pegar o sonho ele nos escapa, mas volta a brilhar nas águas do mar! abração

    ResponderEliminar
  14. Sonia,
    Linda poesia.
    O medo as vezes é paralizante
    mas o dialogo deve sempre prevalecer.
    A imagem ficou linda.
    Beijos

    ResponderEliminar
  15. Quem tem medo...
    O teu poema é excelente, gostei imenso.
    Boa semana, querida amiga Sónia.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  16. Boa tarde Sonia.. temos muitos medos.. medo de nós mesmos que somos o maior dos segredos.. um dia tudo desperta dentro de nós.. bjs e um lindo dia

    ResponderEliminar
  17. O medo às vezes obseda. Lindo poema.
    Boa semana e beijos,
    Renata

    ResponderEliminar
  18. Hey Sonia
    Very,very pleased with your request to use my painting for your blog!!
    For one real cyberkiss, you can used all my paintings....
    Kiss without fear,Willy

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Thanks a lot, Willy.
      Another kiss
      without fear. :)

      Eliminar
  19. Oi Sónia
    Passando para lhe desejar uma boa noite e um lindo amanhecer
    Obrigada pelo carinho
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  20. Dentro da linha poética de Sónia M, em que são recorrentes os temas da tristeza, da angústia, da saudade e de um amor não compreendido, este poema consegue, através de metáforas muito bem conseguidas, elevar o patamar das emoções, de quem o lê. Trata-se de um poema de exceção, a que não se pode ficar indiferente.

    ResponderEliminar
  21. por vezes nos espelhos de água, existe (mesmo) o medo....

    :)

    ResponderEliminar
  22. OI SONIA!
    OS SONHOS, MUITAS VEZES SÃO OS ELOS QUE NOS PRENDEM AO REAL E NEM SEMPRE QUEREMOS QUE ASSIM SEJA...
    LINDO TEXTO.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  23. MUY SIGNIFICATIVO TU TEXTO.
    UN ABRAZO

    ResponderEliminar
  24. O medo é o modo do que ainda se move morto.
    GK

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. GK, ou...

      o medo é o modo protegido do que se move vivo.
      Só o medo que impede o movimento, é da vida o modo morto...


      Obrigada a todos pelas vossas visitas e comentários.
      Deixo um abraço.

      Eliminar
  25. Passar por aqui faz-me sempre tão bem querida amiga...sem querer repetir-me...para quando uma publicação??? Urge...tanto talento e sensibilidade têm de usar todo o tipo de asas e empreender todos os voos!!!
    beijinhos mil
    Maria

    ResponderEliminar
  26. SÔNIA,

    não conte jamais seus sonhos,realize-os!

    Um abração carioca e que poema lindo você fez!!!

    ResponderEliminar
  27. É sempre um ato de coragem nomear as coisas justo à raiz. Como se a nudez ferisse.

    Um beijo

    ResponderEliminar
  28. poesia intimista - muito belos os jardins onde é cultivada...

    gostei muito.

    beijo

    ResponderEliminar
  29. Que esses medos não consigam cegar jamais os teus belos sonhos.
    Lindo, adorei amiga. Até mais.

    ResponderEliminar
  30. Bom dia,
    os sonhos com mais ou menos dificuldade são para os concretizar, os sonho bons, são os nossos desejos que vivem dentro do nosso intimo, não são para contar.
    Dia feliz
    ag
    http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  31. Olá Sónia, que poema de excepção como alguém diz e muito bem num comentário acima!
    Destaco "mas tenho medo
    de acordar uma voz naufragada
    numa madrugada sem nome"!
    É que as madrugadas por vezes deixam cair os sonhos!
    Um beijinho, Ailime

    ResponderEliminar
  32. Hola Sonia un saludo desde Cajamarca-Perú.
    Es necesario pararnos en el puente y contemplar y escuchar el susurro de las aguas refrescando nuestro ser y nos sentimos regenerados cuando se emposa en nuestro corazón, es poema de añoranzas y anhelos.

    ResponderEliminar
  33. "Queria contar-te o nome das coisas
    que encontrei entre os sonhos"

    Eu também.

    ResponderEliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS