03 abril, 2013

Quietude

                                

Sacudo da língua tudo o que disse, 
quando ainda não estavas.
Permito-me a quietude dos lábios, 
agora que estás, sem estar.
Sobre a mesa há pilhas de papeis amarrotados, 
com palavras gastas, rasgadas.
E eu, com olhos de pássaro espantado,
vejo o quanto as palavras são inúteis, às vezes...
tal como as portas e as janelas fechadas.
Há pegadas tuas por toda a parte, 
num chão que nunca pisaste.
E mesmo quando partes, sempre ficas,
posso ouvir-te no silêncio onde te abraço,
a respirar-me a pele, sem memória da tua.
Atravessas as paredes da casa,
abrindo as cortinas
e nem ao menos sei por onde entraste.

Sónia M

(Imagem  Óleo s/ tela: Silent Thoughts, por © Garmash)

81 comentários:

  1. Olhar com olhos de pássaros espantados e ver que as palavras foram inúteis,mas mesmo assim sentir a presença do ser amado!
    Lindo Sonia!Parabéns!

    Bjs
    Carmen Lúcia-mamymilu.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há presenças que sempre se sentem.
      Obrigada, Carmen.
      Beijo

      Eliminar
  2. Gosto disto:))

    Também gosto de ouvir no silêncio de um abraço. É verdade, por vezes as palavras são inúteis.

    Gosto mesmo

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um abraço é feito de braços e corações a latir junto um de outro.
      As palavras aqui sobram, JP. Obrigada.

      Beijo

      Eliminar
  3. Oi Querida!
    Palavras voam e o amor impregna-se em qualquer lugar da casa, o cheiro fica e a saudade dói
    Obrigada
    Um beijo
    Lua Singular

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A saudade sempre dói, mas também alimenta...

      Obrigada, Dorli.
      Beijinho

      Eliminar
  4. A "poeta" Sónia M já nos habituou, através da sua poesia sentimental e intimista, a atingir o Sublime poético. Neste poema, o leitor é confrontado com uma réplica do drama shakespereano do ser ou não ser, aqui transferido para o drama de estar ou não estar, drama este que sustenta todo o lirismo expresso e transmite ao poema uma dimensão filosófica. Não é pois um lirismo vulgar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ser ou não Ser?
      Estar ou não Estar?
      Querer ou não Querer?
      São tantos os dramas da humanidade...

      Obrigada, Alexandre (mais uma vez)
      Beijo

      Eliminar

  5. Ausência na presença...constante, apesar da não corporização do ausente.

    Saudade de ser, de ter sido ou de não ser.

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar

  6. (Não sei se o meu comentário terá entrado. Por isso, aqui vai de novo.)

    Ausência... na presença. Não física, não real, ideal.

    Saudade de ser, de ter sido ou de não ser/ter.

    Bonito!

    Beijo

    Laura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Laura, o comentário entrou e ficaram bem aqui os dois :)

      Eu diria que o ser humano tem capacidades incríveis.
      Consegue até sentir saudades do que nunca teve...

      Obrigada, Laura.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Os melhores momentos do amor são aqueles de uma tranquila e doce melancolia em que choras e não sabes porquê...

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabemos sempre porque choramos, Manuel.
      Obrigada.
      Beijo

      Eliminar
  8. Envolvente, de uma grande beleza...!

    Beijo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, AC, por se deixar envolver :)

      Beijo

      Eliminar
  9. Fantasmas da alma, presenças pressentidas, ausências ativas, palavras... palavras!

    Belo.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tantas, tantas palavras!
      Tão, tão inúteis!
      Obrigada, R.R.

      Beijo

      Eliminar
  10. O amor platónico tem o seu quê de beleza.

    ResponderEliminar
  11. A quietude dos lábios está boa
    Há pegadas por tada a parte
    Por onde andaste à toa
    Se o chão nunca pisaste?

    Boa noite, bons sonhos e beijo
    para você amiga Sónia.
    Eduardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Andamos sempre à toa, ou não.
      Obrigada compadre Eduardo :)
      Beijinho

      Eliminar
  12. Existe quem entra na nossa vida e deambula pela nossa alma.
    Presença viva.
    E se olharmos para o canto da sala, ali está ela sentada no sofá em silêncio a observar.
    Presença viva.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Presenças assim, não são fáceis de encontrar.
      Devem permanecer vivas, quando se encontram.
      Obrigada, Anónimo.

      Eliminar
  13. E...disse tudo, sem dizer nada, deixando-me presa a cada frase.

    Beijo grande grande Sónia (e mais não sei o que dizer, penso que tenho tudo dito)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para que dizer, se se pode apenas sentir?...

      Um beijo enorme, gigante. Ficou mesmo tudo dito.

      Eliminar
  14. A presença do Belo... sempre presente!
    A ausência do Tempo... sempre ausente!
    A constância do Abraço... sempre tão quente!
    A presença do Cheiro... sempre inebriante!

    Que o Sol rasgue as cortinas... e seja a Luz mais brilhante!

    "There are more things in heaven and earth, Horatio, than are
    dreamt of in your philosophy."
    W. Shakespeare.

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ausência pode ser uma presença constante, que sempre nos abraça.

      Shakespeare tinha razão, mas a verdade é que as coisas do céu, a mim, pouco me importam. É na terra que vivo e os meus braços não alcançam as nuvens.

      Obrigada, Olímpio.
      Beijo

      Eliminar
    2. O que Teus braços não alcançam...
      Teu Coração ultrapassa...
      Tua Alma vai mais além!

      Beijo.

      Eliminar
    3. A minha alma não voa. Caminha lado a lado comigo. :)

      Eliminar
    4. Só uma Alma que voa, tem Poesia assim!
      Caminhar... caminham muitos!
      Eu também! ...
      Pobre de mim!

      Beijo.

      Eliminar
  15. Triste.....mais é lindo o poema!

    Bom dia Sónia......:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Adriano.

      Um bom dia para si :)
      Abraço

      Eliminar
  16. Sonia,
    As vezes o silencio é tão profundo
    que fala alto la no fundo.
    Um belo poema que se sente na alma
    o sentir dele.

    Beijos linda com carinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Silêncios que gritam...

      Um beijo enorme, Bandys.
      Obrigada

      Eliminar
  17. .



    Soninha, eu acho que no
    dia 6 deste mês
    eu conse-
    guirei arrepiar os teus cabe-
    los, duvida?

    Aparece lá, no meu blog, pra
    ver.

    Beijos,

    silvioafonso







    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hum...arrepiar os cabelos?!
      Passarei lá, Silvio.
      Obrigada pela visita.
      Beijo

      Eliminar
  18. Espero que fique bem, com o homem invisível e que pelo menos alegre seus sonhos!
    Eu vou aprendendo algumas lides domésticas que me faltavam, é nestes momentos da vida que nos apercebemos de quanto precisamos de uns braços femininos.
    O meu abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fico sempre bem, António. O que não se vê, a gente imagina :)

      Espero sinceramente que sua senhora melhore, bem rápido.
      Um forte abraço aos dois

      Eliminar
  19. Olá!
    Sônia
    Obrigado pelo carinho da visita
    Por entre o silêncio que sufoca o grito… existem ainda os sonhos inacabados na extremidade de um sentimento que persiste…
    Meu carinho
    Boa tarde
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Silêncios ensurdecedores...

      Obrigada, Felisberto.
      Beijo

      Eliminar
  20. Hola Sónia,
    buenas tardes,
    parte de la vida está escrita en tu texto,
    dramaticamente lindo.
    besos

    ResponderEliminar
  21. Blog muito interessante! Fico como seguidora.
    Beijo.
    Nita

    ResponderEliminar
  22. São as emoções, são muitas emoções, belíssimo. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos feitos delas, Yayá.
      Obrigada.
      Abraço

      Eliminar
  23. eu chamaria este poema de inquietude.
    é rebelde é intimista é surreal.
    e, eu gostei muito.
    bom fim de semana.

    um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma quietude que inquieta :)

      Obrigada, Piedade.
      Um bom fim de semana também para si.
      Beijinho

      Eliminar
  24. Oi Sónia
    Ainda o silêncio e a procura está estagnada no mesmo lugar. Solta as correntes...
    Obrigada pela visita
    Lua Singular

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assim que tiver um pouco de tempo, coloco aqui um grito, Dorli. :)
      Bom fim de semana.
      Beijo

      Eliminar
  25. Muito bom!

    Uma presença que ultrapassa qualquer limite físico...

    bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos muito mais que físico...

      Obrigada, Mateus.

      Beijo

      Eliminar
  26. Crer em Deus e nos Seus planos nos
    traz a serenidade que só a fé pode trazer e
    nos conduz à fonte do prazer de viver,
    da qual beberemos e da qual seremos saciados.
    Benditos somos nós, donos de uma força que ignoramos e
    herdeiros de um Pai que nos recebe de braços abertos
    cada vez que decidimos voltar pra casa.
    Carinhosamente te desejo um abençoado final
    de semana.
    Que Deus abençoe você paz amor e luz.
    Beijos no coração carinhos na Alma,Evanir..
    www.aviagem1.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela visita, Evanir.
      Um beijo com carinho

      Eliminar
  27. Oi Sonia, saudades de seus poemas!
    gostoso de ler seus textos!
    um forte abraço e beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom vê-lo aqui, Osmar.
      Um beijo e um abraço

      Eliminar
  28. Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado.
      Obrigada, Shirley.
      Beijinho

      Eliminar
  29. Lindo bom fim de semana beijo Lisette.

    ResponderEliminar
  30. A saudade não pose ser escrita apenas sentida....
    Beijo Lisette.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois não Lisette.
      Podemos escrever a palavra, mas não o sentimento...
      Bom fim de semana.
      Um beijo e um abraço.

      Eliminar
  31. Ah este estar sem estar, este sentir a ausência de corpo presente...dói, não é?

    Beijo grande, Sónia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma dor que atravessa bem mais que o corpo...

      Um beijo grande, Sandra.
      Obrigada

      Eliminar
  32. Por mais que tentemos jamais conseguiremos desvendar por completo os mistérios da alma. Beijinhos doces e um bom domingo para ti. Inté!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São tantos os mistérios da alma, não é Suzana?
      Um beijo muito grande :)

      Eliminar
  33. Silencios que son cadenas, ausencias que dejan huella y presencia que deja incertidumbre en dosis masificadas.
    Precioso Texto.
    Ya estoy, de nuevo, con mi poesíayvivencias...¡¡¡Gracias por estar siempre ahí!!!...Eres un Encanto.
    Abrazos y besos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu agradeço o encanto da sua presença aqui, Pedro.

      Un fuerte abrazo :)

      Eliminar
  34. Que beleza de poema nascido da ausência na presença; ou seria da presença na ausência?! Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não será a ausência uma presença que se sente?
      Obrigada, Lucian.
      Beijo

      Eliminar
  35. Querida amiga e poetisa Sônia !!!

    Muito me honrou mais uma sua visita ao meu Blog.
    Obrigado pelo carinho para comigo e meus
    Trabalhos. Belíssimo texto. Gostei muito. Está de
    parabéns.
    Um lindo dia e maravilhosa
    Semana para você!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Beijos de luz!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    POETA CIGANO – 08/04/2013

    http://carlosrimolo.blogspot.com
    “Poesias do Poeta Cigano”

    Obs: Estou sentindo a falta do selinho identificador
    Do meu Blog. no seu espaço. Pegue-o, será uma
    Grande honra para mim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pela visita e comentário, Carlos.
      O meu abraço :)

      Eliminar