16 outubro, 2012

A Lenda de Vénus - Olímpio A. Alegre Pinto

O Nascimento de Vênus, de Adolphe-William Bouguereau (1879)

Marte, cansado da Guerra, do Sofrimento e da Morte, desceu a
Montanha... - Crua, Agreste, Seca, Deserta... - a da dureza da rocha
mais dura, da pedra nua... - a da Crueldade dos homens da Terra!

Na Planície, pousou o Escudo partido, e descansou a fera Lança de
sangue coberta... à sombra suave da Árvore Sagrada... - a da Luz
suplicante, doce, bruxuleante...

Olhou para o Sol, hesitante, quase perdido... mas sua Mente e seu
Corpo seguiram o seu Rumo - descente, sempre para Ocidente...

Mil dias passaram... até que, seus pés, ensanguentados, sofridos,
marcados pelas agruras do caminho, pisaram e descansaram, por fim, em
areias douradas, macias, cálidas...- para além do fim da Terra
Deserta, Crua e Fria, - as areias do Início do Mar... do Princípio da
Vida...

Lá! - onde existe o Ar puro, ausente do bafo pútrido da Maldade do
homem... Ali! - onde se sente o aroma fresco, o cheiro intenso, o
sabor, o perfume... a Visão do Horizonte sem fim... o do Mar Azul, do
Mar Transparente - o do Verde Límpido da Pura Água Marinha... a do Mar
Bendito... a do Mar Infinito! ... o do longínquo Oceano da Paz!

Ele, o deus da Guerra, dorido, querendo memória apagar, pediu a
Júpiter... e... sim! - emprestou ao Sol Poente as cores mais quentes,
as mais íntimas, as permanentes, as mais sofridas, ... - as do Fogo
Fundente... - as do fundo da sua Alma! - triste, cansada, partida... a
do Espírito sofrente, pungente...

Ele, o Guerreiro Indomável!, pediu, soluçou!, humilde!, ao Sol... um
Raio de Luz, um Sinal de Perdão... o Condão de um descanso... de uma
Bênção, de uma Contrição...

A Lua, a Filha dileta do Astro Rei, ouviu e sentiu... e, por seu Pai
agraciada, condoída... por si... e por mais de mil anos... - em suave
carinho, acariciou e sarou, com seus Raios de Prata, o Sono, os
Sonhos, e as Feridas... do deus Guerreiro... e do seu Destino - o mais
Heróico, sim!... mas... em muito, o mais Fatal!

Um dia, de madrugada, ao Sol nascer, um Raio de Luz, branquíssimo,
fulgentíssimo, fendeu os olhos entreabertos de Marte... acordou a
dormente, a já mais serena, quase fechada, negra pupila - gravando,
num momento, e para sempre, em seus Olhos e em seu Coração, - de
Leão!, - ainda fero, ainda selvagem... - a mais Bela miragem! - a
Belíssima Imagem! - a de Vénus Princesa - saindo, sorrindo, da espuma
alvíssima das ondas... em seu Corpo molhado, brilhante, dourado... de
Beleza sagrado! ...

Uma Luz intensa - um relâmpago!... e um Vento súbito, vindo do Mar, em
turbilhão, envolveu Marte e Vénus abraçados, subiu para além das
Nuvens, e... suavemente... pousou-os às Portas do Paraíso.


O.A.A.P.
2012

22 comentários:

  1. Hola Sónia, buen día,
    excelente texto,
    fantasticas las últimas tres líneas!
    me dio gusto leer a O.A.A.P.!

    Te deseo un hermoso dia
    besitos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gracias por la visita Ariel!
      Besitos :)

      Eliminar
    2. Gracias por las visitas Sónia...
      besitos =)

      Eliminar
  2. me ha gustado tu post, la verdad muy interesante guap
    Besos

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. Eu também gostei da lenda :)
      Um abraço António

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Pena, que nem todos os finais o sejam...felizes!

      Beijo

      Eliminar
  5. Olá Sónia,
    Um certo dia, Vénus estava admirando a terra quando avistou uma bela moça chamada Psique, uma moça muito bela. Vénus era uma deusa muito vaidosa e não gostava de perder em matéria de aparência, muito menos para uma mortal....

    A mitologia é fascinante Sónia!

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vaidosa e invejosa! :)
      Realmente a mitologia é fascinante!

      Beijo, JP.

      Eliminar
  6. Lindo poema
    Com Marte a descer a montanha
    No outro lado da estrema
    De corpo nu, felicidade risonha?

    Cansada da guerra
    Fugindo da morte
    Deitando a semente à terra
    Procurando a sua sorte!

    O escudo partido pousou
    Depois de vencer a fera
    A paz lá encontrou
    No corpo frescura bela!

    Poema lindo
    Versos encantadores
    No campo florindo
    As mais bela flores!

    Boa terça-feira para você,
    amiga Sánia M,
    beijinho
    Eduardo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E de flores entende o Eduardo! :)
      Boa terça!
      Beijo :)

      Eliminar
  7. Vénus Deusa do amor, tem o doce da ternura, o aroma da paixão,o toque de beleza e o poder de sedução!

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Me encanta la Mitología y me ha entusiasmado tu Post.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  9. Reflexos de amor infinito...beijos amiga e uma bela noite pra ti.

    ResponderEliminar
  10. Se o mar adormecer em desvario
    As ondas não mais se formarem
    Se as gaivotas se perderem do ninho
    As árvores mais altas tombarem

    Se o dia não encontrar a manhã
    As nuvens deixarem de chorar água pura
    Se as pedras da ilha roubarem a cor ao verde
    As tuas palavras deixarem de ser raiva dura

    Boa semana


    Doce beijo

    ResponderEliminar
  11. Deuses e deusas que povoam o nosso imaginário e que ainda fazem as nossas delícias!
    Que bom lembrar esta lenda para encher o nosso espírito de luz!
    Bji Sandra

    ResponderEliminar
  12. Oii..
    Venho aqui para te convidar à ir ao meu blog e conferir as entrevistas que fiz com alguns cantores!!
    Aguardo você!
    Beijos

    ResponderEliminar
  13. Olá Sonia! Li com prazer e alegria. Parabéns. Desejo-lhe um belo dia, bons pensamentos da Roménia! Uma bela lenda.

    ResponderEliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS