03 maio, 2013

.


Não importa.
Nem esperes que importe, mesmo que penses que tudo importa.
Já são poucas as coisas que importam, num mundo tão sem importância.
Anda daí! Nem sei se a fonte é feita de sal, nem importa!
Há algo que sim sei que importa. Que as penas te façam de pedra, sem te roubar o riso.
Ah minha amiga...isso sim!  Sei que importa.

Sónia M
(À MJ)

18 comentários:

  1. Ohhh minha amiga!
    Claro que não im(porta)!
    Que se abram as "portas"!
    ´Bora lá daí!
    Dá cá a tua mão!
    Deixa lá a "meia" pena!
    Trás a saia e o sabão!
    Põe a "uva" no bolso!
    Agora que a "porta" se abriu...
    Vamos rir até mais não!
    Isto sim é que são portas que importam.

    Beijocas
    MJ

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E mesmo que não haja porta,
      também não importa!!!!
      Resta sempre a janela...
      para saltar por ela
      e espantar os pardais do telhado.

      A saia, pronto...fica bem, sim senhora, ou não há bolso para botar a uva :)

      Beijocasssssssssss

      Eliminar
  2. Oi Nádia

    Nada importa se você quer fazer do vento uma brisa, do sol seu bronzeador, das águas das mananciais do deserto a sua bica de amor. O que importa é que você está aí viva e cheia de trejeitos literários a nos encantar.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderEliminar
  3. Hola Sónia, buenas tardes,
    estoy probando tu nuevo formato a pruebas de ladrones literarios =(
    te dejo un "me importas" y un abrazo de fin de semana
    excelente finde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui no hay ladrones, Ariel.
      Pero donde hay una casa, hay una puerta
      y todas las puertas tienen llave!
      Gracias por usar la que te envie.

      Un abrazo :)

      Eliminar
    2. Ya está en mi llavero,
      y jamás he perdido una llave =D
      bonito fin de semana
      otro abrazo Sónia

      Eliminar
  4. Não se trata da sinfonia da Sagração da Primavera de Igor Stravinsky, nem do Hino à Alegria, o poema da 9.ª sinfonia de Beethoven. É o poema da celebração de uma amizade intensa e duradoura entra a "poeta" e a MJ. Merecem-se uma à outra, pelo afeto mútuo que as une. Parabéns a ambas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não Alexandre.
      Não se trata de nada vindo de tão ilustres senhores.
      Nem tão pouco um poema aqui foi pretendido.
      Nem tão pouco importa, que a conversa assim o tenha parecido.
      Importa, isso sim importa, celebrar a amizade, quando se encontra,
      neste mundo tão vazio de tudo.

      Obrigada por se juntar à festa :)

      Eliminar
    2. Foi isso que eu quis dizer, Sónia M. "É um poema da celebração da amizade". Poderia ter-lhe chamado "texto". E quero deixar aqui anotado que me agradou bastante confrontar-me com esta iniciativa, embora eu não seja para aqui chamado. Sou uma simples testemunha dessa amizade cativante.

      Eliminar
    3. Desculpem-me amigos, mas só hoje vi tudo isto(isto é que eu ando na lua e também na terra com a minha cadelita doente). Obrigada, Alexandre, mas penso que esta mútua amizade, já se lhe estendeu também. Bem hajam os dois.(por mim podem sempre vir mais). Sois especiais para mim, acho que não preciso dizê-lo...mas já está! Gosto dos dois à "brava" "porra"!

      Beijos grandes

      Eliminar
    4. :) Beijos e abraços ao coletivo!

      (As melhoras da Kikas)

      Eliminar
  5. Deixo aqui, para as minhas amigas Sónia e MJ, o poema da "Ode à Alegria", de Friedrich von Schiller, tal como se canta na 9ª sinfonia de Ludwig van Beethoven.

    Oh amigos, mudemos de tom!
    Entoemos algo mais agradável
    E cheio de alegria!
    Alegria, mais belo fulgor divino,
    Filha de Elíseo,
    Ébrios de fogo entramos
    Em teu santuário celeste!
    Teus encantos unem novamente
    O que o rigor da moda separou.
    Todos os homens se irmanam
    Onde pairar teu vôo suave.
    A quem a boa sorte tenha favorecido
    De ser amigo de um amigo,
    Quem já conquistou uma doce companheira
    Rejubile-se conosco!
    Sim, também aquele que apenas uma alma,
    possa chamar de sua sobre a Terra.
    Mas quem nunca o tenha podido
    Livre de seu pranto esta Aliança!
    Alegria bebem todos os seres
    No seio da Natureza:
    Todos os bons, todos os maus,
    Seguem seu rastro de rosas.
    Ela nos dá beijos e as vinhas
    Um amigo provado até a morte;
    A volúpia foi concedida ao verme
    E o Querubim está diante de Deus!

    Alegres, como voam seus sóis
    Através da esplêndida abóboda celeste
    Sigam irmãos sua rota
    Gozosos como o herói para a vitória.

    Abracem-se milhões de seres!
    Enviem este beijo para todo o mundo!
    Irmãos! Sobre a abóboda estrelada
    Deve morar o Pai Amado.
    Vos prosternais, Multidões?
    Mundo, pressentes ao Criador?
    Buscais além da abóboda estrelada!
    Sobre as estrelas Ele deve morar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Abracem-se milhões de seres!
      Enviem este beijo para todo o mundo!"

      E as vidas seriam todas mais leves...

      Eliminar
    2. "Escuta irmão esta canção da alegria Um canto alegre de quem espera um novo dia. Vem,canta, sonha cantando, Vive esperando um novo sol Em que os Homens voltarão a ser irmãos."

      Beijos ao colectivo

      Eliminar
    3. Maria G: Um belíssimo e emocionante apelo ao coletivo!

      Eliminar
  6. O riso faz a alegria da alma e da vida, e isso importa...e muito! Beijos doces!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijos doces, Suzana.
      Com muitos risos e alegria partilhados :)

      Eliminar