01 novembro, 2012

Ecos da tua voz



Falas-me sem voz.
Ouço-te cá dentro, de onde me sopras ventos de esperança 
que se passeiam na escadaria dos meus dias.
São sopros mornos em palavras, que me agarram por dentro 
e me avessam.

Nem sabes quantas dizes, só com uma.
Quando me pedes que te peça...
Quando  pedes que te olhe...
Quando  pedes que te toque...
Quase sempre são as palavras mais pequenas,
que me sussurras à vez, que ao sair da tua voz muda,
fazem gritar outras, em turbilhão. Tantas, que não consigo responder a todas.

Aprisionei-te cá dentro, fiz-te parte de mim,
ou talvez uma extensão minha, que nem sei onde começa.
Passeias dentro dos meus passos, pisando assim o mesmo chão.
E transportas-me ao longo do dia, para este mesmo sitio,
mas em outro lugar.

Quando chega a noite, já não há Saudade.
Olho-me no espelho e é o teu rosto que vejo.
Toco a tua pele através da minha, abraço-me com os teus braços
e adormeço no conforto da tua alma.

Todas as noites tenho o mesmo sonho.

Caminhamos descalços, numa estrada coberta de cardos.
A certa altura não há mais estrada. 
Olho para trás, vejo o rasto que nossas feridas deixaram.
Olho para a frente, apenas um abismo, negro e profundo.
Um vazio, a pedir a gritos que alguém o preencha.
Dás-me a mão e eu pergunto-te:
-Saltas comigo?

Não há vertigem nem medo no salto. Há algo maior, anterior a nós
que une dois corpos numa única batida cardíaca.
Despertas-me sempre com a carícia do primeiro raio de sol.
E o dia recomeça...com a tua voz muda... a fazer ecos cá dentro.

Sónia M

(imagem retirada da net)




25 comentários:

  1. Quem não gostaria de ouvir/sentir essas palavras, dando corpo à cumplicidade?
    Muito belo, Sónia!

    Beijo :)

    ResponderEliminar
  2. Ecos da tua voz
    Diz-me onde os posso ouvir
    No Rio junto à foz
    Onde o rio e o mar colidir!

    Se junta a água doce com a salgada
    Nas ondas do mar alto se misturar
    Tua voz doce sempre afinada
    Que no espaço o vento espalhar?

    Bom feriado para você,
    amiga Sónia. Que sua seja sempre bela.
    Se fumar dá cabo dela!

    Beijinho
    Eduardo.

    ResponderEliminar
  3. Profundo e lindo seu poema Sônia. A tua alma a escrever versos... Bjsss

    ResponderEliminar
  4. Lembrei-me do filme Telma e Loise.
    Saltamos?
    Sim!
    Mas apenas saltam os corajosos.
    A grande maioria não salta, empurra, lamentavelmente.
    Um bom feriado.

    ResponderEliminar
  5. Bemmmmm...nem sei o que diga, lindo...
    (acho que apanhei a dos "sapatos" por aqui, será?)

    Beijocas muitas :)

    ResponderEliminar
  6. Um belo cântico de amor. Uma doçura de poema para ler e reler... se possível com uma música suave ao fundo...
    Beijos.
    M. Emília

    ResponderEliminar
  7. Essa voz terá sempre eco em ti, Sónia.

    De manhã, mas também à noite. Quando fechas os olhos e voltas a encontrar a estrada que pensaras que tinha chegado ao fim....

    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Ecos de una Voz que suenan entre las paredes de la Pasión.
    Precioso Poema, Sónia.
    Un abrazo.

    ResponderEliminar
  9. Belo poema que evoca determinados momentos duas vidas em comum e denota uma certa nostalgia daquilo que não foi vivido.
    Abrs
    J

    ResponderEliminar
  10. És Tu! Quem... Do grito...
    Silencia a voz...
    E, com fervor e em silêncio, faz pedir ao Sol...
    Que...
    Logo que desponte, todo se desdobre
    - Em seu máximo esplendor!
    E brilhe em todas as suas cores...
    No mais refulgente Arco-Iris...
    - O Arco de Deus e da Terra!
    E que, com seu secreto mistério, e todas suas mil cores,
    Bata suavemente à janela do Teu quarto...
    Para te acordar de mansinho, e Te levar
    Um beijo doce de carinho, de despertar...
    De quem, de longe, muito te Ama...

    E possa ainda trazer um Sussurro Teu...
    E um Raio de Luz do Teu Olhar...

    Para tanta Ânsia apaziguar...
    E um Coração, dolente, sossegar!

    ResponderEliminar
  11. Oi poeta Sónia, boa noite,
    esses dois versos são fantásticos,
    "Todas as noites tenho o mesmo sonho."
    "Despertas-me sempre com a carícia do primeiro raio de sol."

    Os ecos mais profundos,
    são a voz que sai do coração.

    Bom descanso
    beijos

    ResponderEliminar
  12. Um sonho, um amor, uma paixão!
    lindo poema!
    ************************
    Sonia, um abraço e um beijão!

    ResponderEliminar
  13. Nada soa tão claro quanto o que é dito com silêncio.
    GK

    ResponderEliminar
  14. The photo and words go so wonderfully together!!! Beautiful!!

    ResponderEliminar
  15. Bons pensamentos no fim de semana! Desejo-lhe um ótimo dia! Seu sonho poético é muito bom. Parabéns. Dois corpos, um piscar de olhos...

    ResponderEliminar
  16. Ecos que se misturam com saudades,,,com a dor da solidão...belos versos....beijos e um maravilhoso feriado pra ti amiga...

    ResponderEliminar
  17. silêncios que são ruídos ensurdecedores e assim se solta o eco.

    muito belo.

    beijo

    ResponderEliminar
  18. São mudas as neblinas nesta ilha
    É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
    Oiço o mar com os meus próprios dedos
    Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

    Parti e deixei no cais mil dúvidas
    Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
    Nesses dias bebi sofregamente a vida
    Nesses dias a minha alegria era incontida

    Um radioso fim de semana


    Doce beijo

    ResponderEliminar
  19. Olá!Bom dia!
    Sonia...tudo bem?
    ...é melhor sentir nostalgia do que foi vivido do que uma melancolia pelo que não foi vivido... Agora feche os olhos, sorria ao lembrar dos momentos, e espere a carícia dos primeiros raios de sol do novo ...
    Obrigado !
    ótimo final de semana!
    Beijos

    ResponderEliminar
  20. Sónia

    Gostoso poema que nos fala de saudade, o tributo ao amor.
    Beijos

    ResponderEliminar
  21. Que cantar suave das palavras pequenas. Aquelas que são ouvidas por dentro onde moram as nossas esperanças.

    Finalmente esse acordar frente ao espelho onde as cores nos mostram o rosto dos que amamos e a quem nos damos.

    ResponderEliminar
  22. Vim matar a saudade de uma amiga querida.... Como você está? Intensidade, inspiração... Profundo amor e saudade.... No íntimo do silêncio estão todas as respostas.... Lindo demais! Um abençoado e feliz fim de semana!
    Abraço fraterno e carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar

  23. "Falas-me sem voz.
    Ouço-te cá dentro, de onde me sopras ventos de esperança
    que se passeiam na escadaria dos meus dias"

    Fizeste um excelente poema, bem marcado por um início brilhante.
    Parabéns pelo teu talento poético.
    Um beijo, querida amiga Sónia.

    ResponderEliminar

NÃO SERÃO PUBLICADOS COMENTÁRIOS ANÓNIMOS